CPDoc promove lives para resgatar a memória de um período histórico do espiritismo laico

Muitas informações que circulam no movimento espírita brasileiro a respeito do livre-pensamento e dos grupos espíritas que a ele se vinculam foram distorcidas e se mostram incompletas, devendo-se a isso vários dos preconceitos presentes no contexto histórico atual.

O necessário resgate da história, que hoje se faz com grande intensidade no espiritismo, resultou em um projeto que está sendo posto em prática pelo Centro de Pesquisa e Documentação Espírita (CPDoc), com o objetivo principal de estruturar a memória com base nos fatos e na visão daqueles que participaram ativamente dos acontecimentos, em especial nos anos 1970 a 1990, período em que a CEPA retomou sua presença no Brasil, o Grupo de Santos se formalizou e o CPDoc foi criado.

A consciência imprecisa dos acontecimentos importantes da época se tornou um campo fértil para a disseminação de fatos, que hoje se conhece como Fake News, do que resultaram e em grande quantidade permanecem no canário da atualidade diversos preconceitos em relação aos grupos e indivíduos que comandaram ou participaram ativamente daqueles eventos.

Pode-se afirmar com segurança que a maioria absoluta dos espíritas, incluindo-se aí expressivas lideranças do movimento, desconhece as fontes das quais nasceram, bem como as razões, de expressões como: “O Grupo de Santos e a Cepa querem tirar Jesus do espiritismo”. Ao ouvir frases como esta repetidas décadas após os fatos, sem que os falantes tenham sequer noção de sua origem e razões, percebe-se o quanto o resgate da memória do movimento espírita se faz necessário.

Importantes personalidades espíritas, muitas das quais presentes no cenário sócio-político do Brasil contemporâneo, tiveram atuação destacada nos movimentos de então; outras, agora já na espiritualidade, deixaram registros de seu pensamento ou podem ser relembradas por seus contemporâneos; todos são, porém, necessários ao registro dos fatos para que a história possa oferecer a base da compreensão mínima à formação da consciência dos espíritas atuais e dos tempos futuros.

O primeiro dos eventos preparados para o resgate da memória do movimento espírita laico foi realizado no último dia 6 de novembro, quando foi entrevistado o ex-Ministro da Saúde, Ademar Arthur Chioro dos Reais, que à época dos acontecimentos tivera atuação intensa. Os interessados poderão assistir a live pela plataforma do YouTube, acessando aqui.

O próximo a ser entrevistado será o arquiteto e urbanista Ciro Pirondi, que também teve destacada participação nos fatos. A entrevista acontece nesta 3ª feira, dia 24 de novembro, às 18 horas, pela plataforma Zoom. A participação é livre para todos os interessados, bastando acessar por este link.

Autor: Wilson Garcia

Quem somos

O CPDOC Iniciou suas atividades em 1988, fruto do sonho de jovens espíritas interessados na inserção da crítica coletiva como prática estimuladora ao aperfeiçoamento dos trabalhos.

Acompanhe-nos nas redes sociais